Tanta pauta rolando na internê nos últimos dias que a gente fica até confuso de por onde começar. Rola ainda [não se sabe se o assunto um dia encerrará] o caso da "ditabranda" da Folha, tema de um artigo desta que vos escreve no Chapa Branca, e também matéria de capa da Caros Amigos deste mês. Além disso, rola dois assuntos que muito interessam ao futuro da comunicação: o vídeo de Susan Boyle, participante do programa "Britain's got Talent"*, e na twittosfera, a guerrinha de brincadeira entre o ator Ashton Kutcher [off-topic: LINDO!] e a CNN, para saber quem atingiria primeiro a marca de um milhão de followers no Twitter, ou seguidores, no bom português de Portugal.

Ai, Ana P., que exagero, porque essa bobagenzinha de guerrinha por followers seria um tema pertinente? Gente, por muita coisa! Isso daí num rolou na mídia impressa. Em nenhum jornal de grande circulação rolou mais do que uma notinha escondida nos confins das páginas internas. Isso daí foi, basicamente, notícia no Twitter. Mas que rendeu, muita coisa pela internet!

O ator Ashton Kutcher, famoso pela sua participação no seriado "That 70's Show", desafiou a rede CNN em um vídeo divulgado na Ustream, a obter um milhão de seguidores no Twitter, antes que Ashton o fizesse. A CNN comprou a aposta, já que era o perfil no Twitter com o maior número de seguidores no mundo, até aquele momento. Ashton prometeu ainda doar 10 mil mosquiteiros para promover o Dia Mundial Contra a Malária, caso ganhasse a aposta.

A disputa cresceu. Milhares de twittadas, milhares de posts em blogs e pouquíssimos dias depois, Ashton venceu a aposta.

Qual é o grande "ooohhh" disso tudo, Ana P.?

A disputa rolou apenas na internet. Houve chamadas nos intervalos da CNN, mas mesmo assim, Ashton venceu a aposta. Como ele conseguiu isso? Somente através da internet e do boca-a-boca virtual. Foram centenas de milhares de mensagens via Twitter, blogs divulgando a história a todo momento, até os sites de grandes meios de comunicação impresso noticiaram a aposta. Não houve site que você visitasse que não mencionasse um nada dessa história.

Fica como dica para quem ainda insiste em dizer que a internet como veículo de comunicação de massa ainda deixa muito a desejar. As novas mídias sociais estão, aos poucos, quebrando as barreiras do desconhecido. Estão invadindo o espaço das velhas mídias. E em breve, quem sabe, se tornarão também velhas mídias tradicionais.

Quem, afinal, sabe o que poderá vir pela frente?

* me perguntem em outro post, porque eu acho que esse vídeo é importante para quem trabalha com comunicação.

2 comentários:

A internet chegou, se instalou nas devidas camadas da sociedade, arrebanhou multidões e, a cada dia, se fortalece como um meio de comunicação de massa forte, de impacto e que ainda nos surpreenderá muito mais, daqui pra frente.

Não tenho dúvidas!

Vamos abrir as portas ao novo!!!
(Nossa! Lembrei-me, agora, do programa do Silvio Santos: Porta da Esperança...afff, que viagem!)

Que medo bobo de ser devorado por esse lobo que nem é tão mau assim, vai.

É isso aí!

23 de abril de 2009 20:03  

"A maldita inclusão digital virou a inevitável inclusão social"

Internet é uma TV com "trocentos" canais onde você interage como quiser.

29 de abril de 2009 16:28  

BlogBlogs.Com.Br