Faz um tempo que eu li na Folha, mas hoje eu vi na capa do portal G1, e achei que seria um bom tema para discussão. Quem está na faculdade hoje em dia, obrigatoriamente passou pela via crucis do vestibular. Quem, como eu, já tentou o vestibular para universidades públicas, sabe que a concorrência é cruel. Quem nunca tentou, eu acredito que valha como experiência e tentativa.

Vestibulares de universidades públicas têm o estigma de serem os mais difíceis, justamente por serem mais concorridos, pela qualidade do ensino ser diferenciada e, claro, porque as universidades querem os melhores alunos. Não que eu ache que o fato de você ter passado num vestibular dificílimo vá garantir que você será um excelente representante do corpo discente da universidade X ou Y. Mas o certo é que, a grande maioria dos que são aprovados nesses vestibulares, vieram de escolas públicas, ou tiveram a oportunidade, como eu, de estudar em cursinhos pré-vestibulares.


A proposta atual do MEC é que o vestibular das universidades federais seja unificado. Ou seja, você presta uma única prova e pode escolher em qual federal você quer estudar, se aqui em São Paulo ou lá no Ceará, por exemplo. A prova unificada seria o ENEM, aquela prova que os alunos do 3º ano do ensino médio fazem, e que atualmente ajuda o MEC a analisar a qualidade do ensino médio, uma pré-seleção dos alunos favorecidos pela bolsa PROUNI, e também é usado como uma nota adicional em muitos vestibulares.

Claro que a estrutura da prova seria modificada. A proposta inicial do MEC é que o número de questões passe do atual 63 para 200, além da redação. A prova seria feita em dois dias, como muitos dos vestibulares tradicionais, e incluiria questões de linguagens [português, inglês e redação], matemática, ciências humanas e ciências da natureza. Como as universidades federais possuem autonomia, caberia à elas decidirem se aceitam ou não essa modalidade de acesso.

Acho justo querer unificar os vestibulares. Muita gente gostaria de tentar o ingresso em uma UNIFESP, UFRJ e UFSCar, por exemplo, mas todas as provas são no mesmo dia, ou muito próximas, impossibilitando o deslocamento do aluno. Como são todas universidades federais, a opção de prestar todos ao mesmo tempo, e depois escolher em qual gostaria de ingressar [como funcionam os concursos públicos] é uma ideia a ser estudada.

A forma de seleção, no entanto, ainda precisa ser discutida. Já faz alguns anos que eu não faço a prova do ENEM, mas lembro que o seu nível de dificuldade não era lá muito "aceitável" para substituir uma FUVEST, por exemplo. Não que eu acredite que o vestibular tenha que ser difícil. Mas tem que selecionar.

O MEC anunciou a proposta hoje. Os reitores das federais ainda vão se reunir para discutir o assunto. Como quase toda a proposta que pretende mudar os rumos da educação nesse país, com certeza o assunto ainda vai durar. Mas se você gosta da proposta e queira vê-la aprovada rapidamente, mova-se! Reúna seus amigos, brade aos quatro ventos, manifeste-se! Se você não gostou da proposta, vale também. O que não vale é você me dizer que "ah, já passei dessa fase, não tenho nada a ver com isso". Quando se trata de assuntos de educação, todos nós temos muito que ver com isso.

3 comentários:

Ótima idéia, ai se no dia você não estiver bem, pode fazer outro vestibular, vejamos, no próximo ano! ¬¬'

SEM CHANCE! O ENEM é rídiculo (ou meus óculos realmente me deixam muito mais inteligente do que eu pensava).

Também vi uma proposta de acabar com o vestibular e aprovar os alunos de acordo com o histórico, mas ai como vão comparar históricos entre escolas publicas e particulares? Entre uma escola de são paulo e uma do sertão da bahia? Outra ideia absurda!

Mas... "ah, já passei dessa fase, não tenho nada a ver com isso".

¬¬'

to com saudade, acredita?

31 de março de 2009 21:59  

Interessante a proposta, mas não sei até onde isso poderia dar certo. Alias, como é que o vestibular seriado se encaixaria nisso? E o sistema de cotas?

1 de abril de 2009 19:33  

Nunca o sistema será perfeito. Quantos alunos ótimos tem nervossismo durante provas e vão mal? Quantos são alunos desleixados mas que conseguem ter calma e acabam indo bem? Tem que haver uma seleção, mas muito além de um papel com escolhas, dinâmicas, entrevistas, algo mais acima da carteira escolar.

Eu conheço profissionais porcos que foram excelentes alunos na escola, como também conheço quem consegui oportunidades na vida que foi uma grande sorte, pois é um grande tapado, afinal... além um pouco de um exame, um conhecimento sobre o aluno no geral seria de muito valor.

1 de abril de 2009 22:45  

BlogBlogs.Com.Br