Sub-empregos ou uma oportunidade?

Hoje não tem pesquisa. Não tem links. Bom, na verdade vai ter uma propaganda no final.

É que o assunto veio na cabeça enquanto eu lia esse determinado link e pensei: nós, estudantes de jornalismo, em grande maioria, somos muito pretensiosos. Às vezes entramos na faculdade já pensando "quero ser âncora do JN". Bobagem, da mais pura e simples. O jornalismo não se resume aos grandes centros jornalísticos do país, vide Rede Globo [que engloba a TV Globo, o jornal O Globo e o canal Globo News de televisão, além da CBN e da Rádio Globo, e tantos outros meios que prefiro não enumerar], Folha de S. Paulo, Editora Abril, O Estado de S. Paulo, enfim... deu pra pegar a idéia? O jornalismo não é só isso.

Preparem-se para o golpe: seja lá quem edite, quem escreva as matérias, e quem pesquisa o material, a revista Contigo, Caras, Amiga TV Tudo [que, pelo que pesquisei, não existe mais]... o TV Fama, A Tarde é Sua [da Sônia Abrão], o Ego [da mesmíssima Rede Globo], quer você queira aceitar ou não, TAMBÉM É JORNALISMO!

Para tudo e chama a Nasa, Ana P. Chama não, relaxa, eu não estou ficando louca, é isso mesmo que você está lendo. São jornalistas [não só jornalistas, tá, pode até ser] que fazem essas matérias, são jornalistas que dedicam sua vida a publicar notícias que você, estudantezinho de jornalismo, que se acha tão cult e politicamente engajado, considera inúteis.

O que eu acho? Se as notícias fossem realmente inúteis, não venderia. Não existiram esses canais de comunicação. Existem pessoas interessadas nesses assuntos, e nada mais natural que alguém que forneça a informação.

Aí você está no primeiro ano da faculdade e ouve muita gente falando que "J-A-M-A-I-S que eu trabalharia no programa da Luciana Gimenez". Preconceito puro e imbecil [me desculpe se você é uma dessas pessoas]. O melhor que eu posso ver pra essa pessoa daqui uns anos é ela trabalhando justamente nesses mesmos veículos que ela tanto critica.

Eu, muito sinceramente? Adoro essas notícias menos relevantes. Aliás, um dos sites que eu assino no meu Reader é justamente o Te Dou Um Dado?, que trata exclusivamente dessas notícias lançadas na imprensa, de uma forma bem humorada e crítica. É uma visão diferente sobre temas que os futuros jornalistas [e acredito que muito jornalista já formado, batizado e experimentado] tanto procuram distância.

2 comentários:

Faltou uma parte do post dizendo... "e como adoro dar pitaco na vida dos outros".

Eu não gosto muito, mas realmente não é notícia inútil, e sim menos relevante como você mesmo disse, agora, Sonia Abrão, me perdoe, mas só tem assunto quando (já disse algo assim antes):

1- Alguém morreu
2- Época de BBB
3- Reportagem de Como se faz chiclete e outros...
4- Convida alguém pra conversar, apesar de nem fazerem isso direito graças aos "Top Therm's" da vida, propagandas ininterruptas que acabam com o programa (e a voz da mulher do Top Therm também).

11 de janeiro de 2009 19:22  

Eu não acho sub-empregos não fófis. Acho que tem trabalho e tem gente ganhando para isso e tá todo mundo happy. Que tudo o que tem na Grobo é manipulado isso geral sabe, será que eu bom trabalhar onde tudo tem um sript? Não pode falar mal disso e tem que falar mal daquilo?

Eu acho que um emprego não deve ser jamais uma "missão de vida" tediosa, para com a verdade e bláqwyskas, tem que ser divertido. Se o TV Fama te paga bem e você gosta de ver a vida das celebs, porque seria um sub-emprego?
Sub-emprego meu cu que eu adoraria trabalhar lá ^^


Beijundas honney.

15 de janeiro de 2009 06:30  

BlogBlogs.Com.Br