E o emprego, cadê?

A maior frustração para o estudante de comunicação social [na verdade, acho que para o estudante de qualquer área] é pensar pelo seguinte ponto de vista: passo quatro ou mais anos na faculdade, fora as várias horas de palestra, fora os cursos de especialização, fora os projetos elaborados, e aí? Quem vai me empregar depois disso tudo?

Mercado de trabalho, sabe o que é isso? É um produto criado pelo capitalismo, lei da oferta e da procura, honey: quem tem a grana e o poder procura o seu serviço. Mas só contrata o seu serviço se você for qualificado para tal.

E como qualificamos um jornalista? Como qualificamos o cara que vai redigir uma notícia, o cara que vai apresentar uma notícia, o cara que vai revisar um texto, o cara que vai criar um editorial, o cara que vai pesquisar determinado assunto e criar uma reportagem sobre? A faculdade está apta para isso? a faculdade está apta para isso?

O estudante de jornalismo Greg Linch, da Universidade de Miami, tem algumas dicas pra você, que está começando agora, ou até mesmo pra você, que já está se lançando no mercado de trabalho e ainda não sabe muito bem por onde começar:

1. Abuse e use da internet - não somente do orkut, do MSN ou do seu fotolog. Existem outras ferramentas interessantes nesse mundo cibernético e que vale a pena você conhecer. Viram o Twitter, aqui do lado?

2. Leia blogs sobre jornalismo online - perceba, existe uma diferença entre blog sobre jornalismo [caso desse, estamos chegando lá] e blog sobre jornalismo online. Pesquise o blogroll dos seus blogs favoritos, você pode acabar achando muita coisa interessante por lá.

3. Comece um blog - Já tentou? Os blogs estão aí há tanto tempo, você pretende estudar jornalismo, portanto é uma boa maneira de começar a escrever. Escolha um tema, ou tenha uma variedade de temas, mas escreva ao menos uma vez por dia. Isso vai ajudar você a melhorar cada vez mais a forma como você se expressa na escrita. Tome cuidado nas suas opiniões, blogs são legados digitais. Você fala mal da RedeTV!, por exemplo, mas não esqueça que um dia você pode trabalhar para eles. Questão de ética? Sim, não, talvez, sei lá. Mas tome cuidado.

4. Aprenda a contar histórias de mais de uma maneira - O jornalismo consiste basicamente em contar história. E história você pode contar escrevendo, você pode contar falando, você pode contar através de vídeo, através de música. Abuse e use dos recursos que a tecnologia oferece hoje em dia. E não fique esperando que alguém lhe ensine a usá-los: pesquise você e aprenda. A vida deixou de ser um colégio. Pense nisso!

5. Sites importantes - Greg Linch indica o tal de LinkedIn, que pelo que eu entendi seria um Orkut para ser levado a sério, ou seja, contatos profissionais. Aqui no Brasil temos isso também, é o Via6, pode não ser engraçadinho e colorido como o Orkut, mas se você procura contatos profissionais, é uma boa. O estudante indicou também o Poynter Online. Esse também foi um pouco difícil de entender [preciso melhorar meu inglês. olha uma dica boa aí], mas pelo visto é um portal de jornalismo onde você encontra artigos importantes com jornalistas renomados [ou nem tanto], blogues jornalísticos e podcasts e tudo mais. Poderíamos equipará-lo ao nosso Observatório da Imprensa?

6. Tem experiência? - Procure o centro de comunicação da sua faculdade, interaja, quem sabe você consegue algum trabalho por lá mesmo, ou mesmo fora da faculdade, o nosso tão famoso e conhecido estágio. Não esqueça nunca disso: nessa área que você escolheu, contato profissional é MUITO importante. Quanto antes você começar a fazer, melhor pra você no futuro.

7. Use os recursos da Universidade - Fale com os veteranos [sem medo de ser feliz, ok?]: quem são os melhores professores, os que você tem que fazer contato, quais as matérias mais relevantes desse semestre, o que devo focar agora. Lá nos EUA eles costumam ter programas em que os estudantes veteranos apresentam a universidade e os professores aos calouros. Aqui nós pichamos e humilhamos os calouros, mas quiçá isso um dia mude de vez. Enfim, conheça também os seus professores. Eles têm experiência, têm histórias boas a lhe contar sobre essa profissão, coisas que na sala de aula muitas vezes eles não podem [ou não conseguem] relatar. Contato, lembra? Quase nem é importante...

8. Networking - Sabe o que é isso? É o que a gente já tá batendo na tecla há tempos: FAÇA CONTATOS! Conheça as pessoas, você não está fazendo um curso de comunicação à toa. Pessoas conhecem pessoas que conhecem pessoas, portanto, quanto mais networking, mais chances você tem de conhecer a pessoa certa, a que vai dar um UP bonito na sua carreira.

9. Conheça o mercado - É, nesse ponto não tem jeito, vai ter que pesquisar. O mercado de trabalho pode estar difícil, porém não impossível. Saia das arraias do fulano disse isso, beltrano disse assado. Pesquise, procure saber como funciona para que você possa formar a sua opinião. Princípio legal para quem quer fazer jornalismo, PESQUISAR!

10. Desenvolva uma mente aberta, e esteja sempre preparado para mudanças - O que seria de um jornalista que não sabe lidar com mudanças? Acredite, como profissional formado em jornalismo, sua vida não vai ser eternamente ficar sentado em uma redação de jornal, ou apresentando o Jornal Nacional. O mundo gira... gire você junto com o mundo, e saiba que a função do jornalista vai muito além de uma simples reportagem. Informar para transformar.

Ufa! Se você compreende um pouco o inglês, o suficiente para ler o texto completo desse rapaz, as dicas bem desenvolvidas você encontra aqui. E eu só cheguei a essas dicas graças a outra jornalista blogueira, a Gabriela Zago, que eu encontrei aqui.

Ficou um pouco maior do que eu imaginei que ficaria, mas... espero que seja de grande valia para quem, como eu, ainda sonha com o jornalismo.

2 comentários:

Adorei,o post.
Muito proveitoso por sinal,são dicas valiosas e que nos fazem lembrar de que não se trata de um mercado de trabalho de fácil acesso,porém também não é impossível,para aqueles que procuram estar sempre conectados ao que está acontecendo

22 de outubro de 2008 01:51  

Mas as dicas estão fora de ordem né? primeiro vem o 8, depois o 6. Depois é o resto!

22 de outubro de 2008 07:05  

BlogBlogs.Com.Br